Empresa que saiu de grupo após sucessão não é responsável por dívida trabalhista, decide TST - Leonardo Coêlho Advocacia